3 passos fáceis para você aproveitar melhor sua próxima cerveja!

dicas degustação

Com a oferta do mercado hoje em dia, às vezes fica complicado saber se está levando para casa uma cerveja de qualidade ou uma bebida que não está na sua melhor forma, frustrando o seu paladar. Com a demanda das cervejas artesanais atualmente, esse risco é mais comum do que possa parecer e, em alguns casos, a maneira como você consome pode te atrapalhar e, consequentemente, oferecer uma bebida aquém do que se espera.

A grande maioria sabe que a cerveja é feita por quatro ingredientes básicos: água, malte, levedura e lúpulo. Além deles, há cervejas, sobretudo as belgas, que ainda contam com adição de frutas, ou as americanas, que tem insistido bastante na maturação em barris de destilados, oferecendo maior carga sensorial e complexidade.

Pensando em todas as variáveis, há pontos que são em comum em todas elas e que, nesse breve resumo, tentaremos em forma de dicas, te ensinar a não cair em nenhuma cilada!

Dica 1: Confira a validade da sua cerveja

De modo geral, quanto mais fresca for uma cerveja, no seu melhor estado, ela estará. Com exceção das cervejas de guarda e de alto teor alcoólico que envelhecem com qualidade, as demais, merecem ser bebidas no seu apogeu, ou seja, de seis meses a um ano da data de fabricação. Isso não quer dizer que, se bebê-la fora disso, ela estará intragável. Mas quanto antes, melhor.

Dica 2: Atente-se à temperatura de consumo, conforme o estilo 

Diferentemente das cervejas de massa, você terá na cerveja artesanal um melhor proveito se consumi-la na temperatura correta e de acordo com o estilo. Isso porque, uma bebida estupidamente gelada, congela as suas papilas gustativas, impedindo que você tenha uma percepção exata do que aquele estilo quer oferecer. Por exemplo, cervejas mais amargas precisam de uma temperatura adequada para que você sinta todo o frescor e aroma do lúpulo. Com a chegada das NE IPAs (New England IPAs) ao mercado, onde a carga aromática é mais intensa e tropical, o amargor mais baixo priorizando o sabor do lúpulo, e uma turbidez pronunciada, se você bebê-la trincando, não sentirá mais da metade do potencial da bebida. Assim como as cervejas alemãs e algumas belgas, como as blond ales.

Já falamos um pouco mais sobre o assunto anteriormente, para relembrar, confira aqui!

Dica 3: Cuidado ao armazenar a sua cerveja

Essa dica talvez seja o grande pulo do gato, pois muitas vezes, o erro está em um hábito simples: colocar todas as cervejas, sob uma mesma temperatura, na geladeira tão logo chega em casa. Às vezes, você ficará dias e dias para beber aquela garrafa, mas ela estará ali, sofrendo com o abrir e fechar da porta, o famoso choque-térmico (pasteurização forçada) e depreciando aos poucos. Cuidado também quanto aos alimentos que ficam próximos a ela, por conta do odor. Por isso, só resfrie uma bebida se você realmente for consumi-la num curto período, evite coloca-la deitada para que o líquido não fique em contato diretamente à tampa e, para finalizar, aproveite ao máximo a sua cerveja!

Cerveja fresca, temperatura correta e resfriamento consciente, são maneiras de beber uma cerveja melhor, valer o seu investimento e comemorar com os seus amigos!

Agora, já pensou em receber em casa, as melhores cervejas, todo mês? Pois então, é isso que a gente faz! Navegue no nosso site, conheça mais sobre o CluBeer ou assine agora e ainda aproveite o Natal no melhor estilo!

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*