As Cervejas Trapistas

Cerveja é um assunto sério. Tão sério que chega a ser sagrado. Algumas das melhores cervejas do mundo são feita por Monges da ordem Trapista, na Bélgica, desde o século XVII. A Ordem de Trapa é uma dissidência dos beneditinos, e produzem suas cervejas, a princípio, sem visar o lucro, fazendo de suas bebidas muitas vezes raras. Apenas sete mosteiros, sendo seis na Bélgica e um nos Países Baixos, produzem a tal cerveja Trapista. Westmalle, Chimay, Orval, Westvleteren e Rochefort são os mais tradicionais. Estas cervejas são degustadas assim como é o vinho na França e o uísque na Escócia e são normalmente bem encorpadas, com sabores e aromas que vão do doce ao amargo, do chocolate à framboesa.

As cervejas tiveram seu consumo ligado à religião graças ao beneditino Arnold, que ao estimular o consumo da bebida ao invés de água, diminuiu os índices de epidemias. Isso porque na fabricação da bebida alcoólica, o líquido era fervido descontaminando a água. (Gastronomia no Brasil e no Mundo, 2008)

Os monges são tão ligados à fabricação da cerveja, que, em períodos de jejum, lhes é permitido o consumo da própria. Alguns se referem à cerveja como pão líquido, por ser rica em nutrientes.

O consumo da cerveja trapista exige alguns rituais. As garrafas, por exemplo, devem ser sempre mantidas em pé, já que são refermentadas na garrafa e devem ser servidas sem o fundo decantado. Há quem goste de maturar a bebida em barris de madeira durante anos, mas o normal é que as deixem envelhecer nas próprias garrafas, alcançando grande refinamento.

O fato é que muitos tentam copiar as cervejas do sacrilégio, sendo até processados pelos monges belgas por usar em seus rótulos a expressão “cerveja estilo trapista”. Mas isso não impede que milhares de entusiastas e amantes de cerveja tentem copiar o modo de produção da cerveja e de estampar monges em seus rótulos. Ficou entusiasmado com a cerveja trapista? Então sorria, pois você poderá degustar destas especiarias alcoólicas da Europa. Hoje, já é possível encontrar estas cervejas em bares, mercados e restaurantes do velho continente e é claro no CluBeer. Mas lembre-se: tomar uma cerveja trapista não significa que você não precisa mais ir à igreja!

Bom fim de semana e saúde!

Leave a comment

Your email address will not be published.


*