Cerveja de trigo: conheça os principais estilos

A cerveja de trigo é normalmente uma das primeiras degustadas por quem se inicia no universo das cervejas especiais. Quem aí nunca experimentou? A que primeiro vai para o copo é do estilo Hefeweizenbier, ou Weissbier, de tradição alemã e a mais popular atualmente. No entanto, há diversos outros tipos de cerveja de trigo, cereal que tem seu dia comemorado em 10 de novembro.

 

A importância do trigo é tão grande para a cerveja que o cereal, maltado ou não, é usado em diferentes proporções e de diversas maneiras em vários estilos, como Kölsh, Altbier, Roggenbiers (cerveja de centeio Alemã), Blond Ales, Saison, Lambics, English Summer Ales, etc. No entanto, há estilos de cerveja que tem como base o malte de trigo e é sobre esses que vamos falar hoje. Que tal conhecermos os principais?

 

Hefewizenbier ou Weissbier – “Weizen” quer dizer trigo em alemão. “Hefe” é fermento. Portanto são cervejas de trigo feitas para serem apreciadas com o fermento, o que lhes dá uma aparência turva e esbranquiçada. Assim, são conhecidas também como cervejas brancas, ou “weiss” na língua germânica. É tradicional do Sul da Alemanha, têm sabor frutado, lembrando banana, e fenólico, semelhante a cravo ou noz moscada. A cor varia de amarelo claro a âmbar claro, com uma bela e consistente espuma e com corpo de leve a médio.

 

Kristal Weizen – A cerveja de trigo alemã pode ser também filtrada, o que lhe dá brilho e características ainda mais frutadas, secas e refrescantes, ficando ideal para dias quentes. Aparenta ser mais leve que a Hefewizenbier por não ter o fermento.

 

Leichtes Weizen – “Leicht” significa light ou leve. Assim, é uma versão mais leve das Hefewizenbier. Apresenta os mesmos aromas típicos de banana e cravo, mas de forma menos intensa e complexa, com ainda menor teor alcoólico. Pode ou não ser filtrada.

 

Bernsteinfarbenes Weizen – “Bernsteinfarbenes” quer dizer âmbar. São cervejas mais escuras, com cor variando entre âmbar e marrom claro, também podendo ser ou não filtradas. Diferenciam-se ainda no sabor, que além do característico de banana e cravo, traz gosto mais adocicado e aromas lembrando caramelo e notas de panificação, em razão dos maltes de média coloração.

 

Dunkel Weizen – Feita com maltes escuros, é uma cerveja de trigo de cor marrom claro a escuro, com ou sem fermento. As notas aromáticas seguem o tradicional, com banana e cravo, mas com um caráter maltado mais intenso, lembrando broa, pães escuros e até achocolatado. Historicamente, a cerveja de trigo da Bavária era escura, e não clara.

 

Weizenbock – Uma Dunkel Weizen mais alcoólica e potente, similar às cervejas do estilo Bock, com aromas intensos de frutas escuras, como ameixa, e frutas passas, como banana-passa, uva-passa e ameixa seca. Com cor escura, é adocicada, encorpada – chegando até a ser cremosa em alguns casos -, além de aquecedora em razão do maior teor alcoólico. A partir dela são produzidas ainda as Eisbock, ainda mais alcoólicas, resultantes de um processo de extração de água por congelamento.

 

Berliner Weisse – Típica de capital alemã, é uma cerveja de trigo de caráter ácido, seco e leve, com bastante gás carbônico. Chegou a ser conhecida como “A Champanhe do Norte” pelo seu caráter de sabor forte. Hoje apenas uma cervejaria produz esse estilo, mas ele já foi muito popular no século 19. É normalmente servida com uma dose de calda açucarada sabor framboesa ou aspérula, ou ainda misturada à cervejas do estilo Pils para equilibrar a acidez. Tem baixo teor alcoólico.

 

Leipziger Gose – Estilo bastante antigo de caráter ácido e salgado, condimentado com lúpulo e coentro. Seu nome vem do rio Goze, que passa pela cidade de Goslar, perto de Leipzig, na Alemanha. O caráter salgado, incomum para uma cerveja, vem da própria água do rio, que é salobra, e o estilo permaneceu assim até hoje.

 

Witbier – “Wit” em flamenco quer dizer branco, numa analogia semelhante à usada na Weissbier. São também refrescantes e leves, mas a cerveja de trigo de tradição belga leva cascas de laranja e especiarias na receita, como coentro. E não lembra a tradicional dupla de banana e cravo das cervejas alemãs. O sabor é cítrico e condimentado, com final seco. Trata-se de um estilo antigo, que desapareceu após a Segunda Guerra mundial e foi retomado na cidade de Horgaarden, na Bélgica.

 

American Wheat Beer – Diferente da cerveja de trigo alemã, a tradição americana produziu uma cerveja de trigo que, assim como a tradição belga, não lembra o frutado e o fenólico. É um estilo que pode variar bastante, sendo claro ou escuro, com ou sem fermento. Mas lembra o sabor maltado do grão de trigo e lúpulo americano ou nobre, normalmente com notas cítricas e florais. As versões escuras também trazem caráter mais maltado, como as Dunkel Weizen alemãs.

 

E aí, conhecia todos esses? Qual a sua cerveja de trigo preferida? Escolha a sua!!

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*