O mercado de cervejas artesanais no Brasil

O mercado de cervejas no Brasil está passando por um momento de transição. Se as grandes cervejarias estão aumentando suas vendas e lucros, as micro-cervejarias e importadoras também ganham sua importância no cenário da cerveja no Brasil. Antes fixado no consumo das “tradicionais” Pilsen das marcas mais famosas, o mercado vem se expandindo, e novos nichos e segmentos ganham força, mesmo com alguns entraves como o recente aumento de impostos anunciados pelo governo para o setor de bebidas.

 

Terceiro maior produtor mundial de cerveja – são 13 bilhões de litros/ano, 4º maior consumidor em volume (atrás de EUA, China e Alemanha) e com consumo per capita de 57 litros anuais – o Brasil oferece espaço para os pequenos produtores, mesmo em um mercado dominado pelas grandes cervejarias, como a mundialmente famosa Inbev. Dentre as aproximadas 200 cervejarias de pequeno porte, o nicho das cervejas artesanais oferece ainda mais potencial.

Em expansão considerável desde 2005, hoje as craft beers representam aproximadamente 0,5% do mercado nacional de cervejas, número considerado baixo quando comparado a mercados mais maduros, como EUA e Chile, onde a participação destas chega a 9%.  Alta carga tributária e alto custo dos equipamentos são alguns dos enclaves que dificultam o sucesso e a entrada de novos players. Para se ter uma ideia, o investimento inicial pode chegar a R$2 milhões.

Mesmo assim, as expectativas são muito boas. De acordo com a Associação Brasileira de Bebidas, nos próximos 10 anos a participação das micro-cervejarias deve dobra no mercado nacional. Somente na capital paulista, foram saboreados aproximadamente 8,6 milhões de litros de cervejas artesanais em 2011, o dobro do ano de 2010. Tudo isso porque se observa uma mudança na pirâmide social do Brasil, com um aumento significativo nas classes A e B, principais consumidores deste tipo de cerveja. O consumidor, cada vez mais exigente, busca explorar novos sabores e experiências. Conhecidas como cervejas “super premium”, as vendas aumentaram em 20% no ano de 2011, contra 3% do mercado geral de cervejas. Enquanto a classe C consome as grandes marcas, as classes A e B buscam sua diferenciação. O público das cervejas artesanais é majoritariamente masculino, com idades entre 18 e 65 anos, e as mulheres que a consomem têm entre 30 e 65 anos.

 

Seja por hobby ou motivações profissionais, é um ótimo momento para o investimento na produção de cervejas artesanais.  Caso você esteja pensando em levar para frente suas ideias, aqui vão dicas para fazer sua pesquisa e julgar os pontos positivos e negativos ao abrir seu negócio:

 

Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja – Sidicerv – http://www.sindicerv.com.br/

 

Associação Brasileira de Bebidas – Abrabe – http://www.abrabe.org.br/

 

Caso você prefira apenas continuar degustando e aproveitando os sabores das cervejas artesanais, continue lendo o conteúdo de nosso blog e seguindo a nossa fanpage no Facebook.

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*