Vocabulário cervejeiro: 9 palavras pra você entender melhor sua cerveja

Quem ama cerveja artesanal mas não estudou a fundo sobre o assunto (a grande maioria dos leitores, acredito eu) pode se sentir intimidado com a quantidade de termos específicos usados neste universo. Por isso a idéia aqui é apresentar, de maneira simples e descomplicada, palavras e termos comuns usados pelos cervejeiros.

 

O conhecimento básico deste vocabulário pode ajudar o consumidor a melhor entender a cerveja artesanal e, assim,  escolher a que mais lhe agrada de acordo com suas características.

  1. ABV

É a abreviação de Alcohol by Volume, e indica a quantidade (porcentagem) de álcool da cerveja.

 

  1. IBU

International Bitterness Units (Unidade Internacional de Amargor). É a medida padrão que determina a quantidade de alfa-ácidos (um dos componentes que conferem amargor à bebida) na cerveja.  Portanto, quanto maior o IBU, mais amarga será a cerveja.

 

  1. Mosto

É a mistura de água e malte que contém os açúcares necessários para a próxima etapa de produção de uma cerveja: a etapa da fermentação (onde o açúcar é transformado em álcool através da ação das leveduras).

  1. Brettanomyces

Carinhosamente apelidada de “Brett” por alguns cervejeiros. É um gênero de levedura selvagem, famoso principalmente por sua atuação na produção das cervejas do estilo belga Lambic. Algumas das características sensoriais que a Brett confere à cerveja são acidez, e notas relacionadas à fazenda: cavalo, celeiro, suor, couro.

 

  1. Dry-hopping

Processo de a adição de lúpulo seco depois da fervura, no momento da maturação. Os cervejeiros usam o dry-hopping para acentuar o sabor e o aroma do lúpulo em uma cerveja. Portanto, espere características sensoriais marcantes de lúpulo em uma cerveja com dry-hopping!

 

  1. Pasteurização

É a técnica de conservação onde a cerveja é aquecida e depois resfriada,  a fim de eliminar os microorganismos ali presentes e evitar contaminação.

 

  1. Cask

É um recipiente de metal que acondiciona algumas cervejas. As famosas Cask Conditioned Ales são a base da tradição cervejeira britânica. Refere-se à cerveja que não foi pasteurizada nem filtrada, em que a segunda fermentação ocorreu no barril, conferindo uma carbonatação natural à bebida, conforme antigamente na Inglaterra. No bar, a cerveja vai direto do Cask para a torneira, e de lá para o seu copo.

  1. Imperial

O termo também é descrito como “Double“, e define as cervejas com as características acentuadas de seu estilo principal (por exemplo, uma Imperial IPA tem as características acentuadas de uma IPA).

 

  1. Session Beer

É uma categoria de cervejas de diversos estilos que tem como características principais: baixo teor alcoólico (normalmente menor que 5%), sabor leve e suave, refrescância e alta drinkability. Por ter essas características, essas cervejas são bastante consumidas no verão.

 

E já que estamos falando de definições, vale lembrar que, pela nossa legislação, cerveja é “bebida obtida pela fermentação alcoólica de mosto cervejeiro, oriundo de malte de cevada e água potável, por ação de levedura com adição de lúpulo.” Chope é “a cerveja não submetida a processo de pasteurização para o envase”. A cerveja artesanal ainda não tem uma definição padronizada aqui no Brasil.

E pra você, faltou alguma palavra para ajudarmos a decifrar?

 

Por Gisele Russano

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*