Histórias engarrafadas: A Cervejaria Weihenstephan

Verdadeiras histórias engarrafadas: A Cervejaria Weihenstephan

Quando se fala em tradição em cervejas, logo se pensa nos antigos produtores que mantém suas receitas há décadas. Mas, o que pensar de uma cervejaria que existe há quase mil anos?

A Bayerische Staatsbrauerei Weihenstephan, ou apenas Weihenstephan, para os íntimos, funciona oficialmente desde o ano de 1040! Fundado por monge da ordem dos beneditinos, documentos já mostram que o mosteiro cultivava lúpulo desde 768 d.C.. O mosteiro fica localizado no coração da Bavária, no topo da colina Weihenstephan (Sagrado Stephan), que dá nome ao local. Fica a 30 km da capital do estado Munique, e  apenas 10 km de Hallertau, lugar famoso por ser o maior campo de lúpulo do mundo.

No século XI, foi outorgada ao mosteiro a permissão de produzir cervejas, através do Braurecht, a Lei da Cerveja, concessão rara cedida pelo governo da época. Desde então, a cervejaria já sobreviveu à idade média, grandes guerras, ataques, incêndios e invasões, sendo reconstruída ao menos quatro vezes em toda sua história. Permaneceu como um monastério até 1803, quando a Coroa do Reino da Baviera a comprou. Tornou-se uma cervejaria estatal em 1921, pertencente ao Estado da Baviera, controlada pelo Ministério de Cultura e Ciência. Ao longo do tempo, a tradição da cervejaria atraiu escolas técnicas de agricultura, e foi lentamente se tornando um pólo de pesquisa a respeito da cerveja. Em 1919, a cervejaria já era também a Universidade de Agricultura e Cervejaria e hoje é mais conhecida como a Universidade Tecnológica de Munique, que possui o maior banco genético de leveduras do mundo, abastecendo cervejarias mundo afora. Lá se formam os maiores mestres-cervejeiros do mundo, que aguardam durante anos a oportunidade de estudar na renomada escola, que oferece diversos cursos nas áreas de alimentação, novos produtos e novas tecnologias.

As cervejas lá produzidas são extremamente exclusivas, com fórmulas únicas que lhe garantem o título inédito de Denominação de Origem Controlada (DOC): “Premium Bavaricum”. Apreciadas por todo o mundo, a Weihenstephan conta com alguns rótulos de muito prestígio:

Weihenstaphaner Pils: Rótulo que  já mostrou as caras no Brasil há bons anos atrás e nunca mais retornou! Como gostamos de clássicos e de história além do gole, o CluBeer trouxe especialmente para os assinantes dos kits Gambrinus e Ceres de Julho.  Trata-se de uma german pils leve, refrescante com notas intensas de biscoito e fino amargor que persiste a cada gole.

Weihenstephaner Vitus :A mais famosa cerveja da Weihenstephan, essa cerveja de trigo e cevada e maturação extra é uma Weizenbock única. De cor dourada e turva, é uma cerveja frutada com ligeiro amargor, lhe garantindo bom corpo e equilíbrio.

Weihenstephaner Hefe Weissbier: Esta cerveja de trigo, do estilo German Weizen, é produzida com leveduras especiais e também conhecida como uma cerveja para o Breakfest, por ser leve a harmonizar com pratos suaves. É uma bebida não filtrada, que lhe dá uma coloração laranja turva, com toques frutados e notas de nozes.

Weihenstephaner Original: A caçula da Weihenstephan é uma Münchner Helles de cor amarela intensa traz aromas do malte e frutas como a uva. Em seu sabor se destacam o leve amargor do lúpulo especial e cereais.

Weihenstephaner Kristallweizenbock: Sob o estilo weizenbock, a kristal é filtrada, deixando-a com uma aparência límpida e clara, pontos contrários a uma cerveja tradicional de mesmo estilo. A formação de espuma é persistente e consistente. No aroma e sabor, notas destacadas de malte lembrando biscoito, casca de pão, caramelo, toffee e fermento, acrescidos de frutas brancas, especiarias, condimentos e suave picância do trigo. O estilo sugere uma suave acidez que deixa o gole seco e pedindo uma segunda rodada!

Nem por ser a cervejaria mais antiga do mundo, a Weihenstephan se deixa desatualizada. Prova disso são suas propagandas bem humoradas, novos produtos lançados e novas tecnologias, sempre buscando renovação e evolução no mundo da cerveja.

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*